Diário de viagem: Flamilla, em Montreal (Cidadão do Mundo)

lire en français

Hello! How are you? Salut! Ça va?

Montreal é como essas saudações acima, em cada esquina, em cada estação de metrô, pode-se ouvir uma mistura dessas duas línguas, e de muitas outras mais. Árabe, Coreano, Chinês,  Espanhol, etc… 

A segunda cidade mais populosa do Canadá, e a maior cidade da província do Quebec, é muito bem representada por essa mistura de culturas e línguas, o que torna este intercâmbio ainda mais interessante.

Esse primeiro mês foi um grande desafio. Não somente pelas diferenças culturais e climáticas, mas sobretudo devido à linguagem. É como se nós tivéssemos que reaprender a falar francês, pois o que aprendemos em sala não é nada se compararmos com o fato de viver essa língua 24 horas por dia e com o fato de precisar se virar em língua francesa em qualquer situação. Mais do que aprender de novo o francês, estou aprendendo sobre a história por trás do francês canadense.

Normalmente, temos uma certa distância do francês do Canadá e estamos habituados a conhecer somente as expressões francesas. No meu ponto de vista, se você estuda o francês dessa forma, você está aprendendo de um modo incorreto. As diferenças entre os dois modos vão além das expressões e das diferenças fonéticas, tudo está muito bem explicado pela colonização desta província pelos Franceses. Ou será que não se trata, nesse caso, de uma falta de colonização? É preciso observar um pouco mais esta província para saber como respeitar essas diferenças.

A propósito, vocês também podem viver uma experiência como a minha. Vocês já conhecem o programa Cidadão do Mundo? As inscrições estão abertas neste site: www.secti.ma.gov.br. As inscrições do cidadão do mundo já começaram e vão até 11 de junho. A pessoa precisa ter até 24 anos, não ter reprovado em 2016 e ter tirado notas acima de 7. A seleção será pela nota do ENEM (qualquer um que tenha feito) e nessa edição será a ÚNICA etapa. Ou seja, sem curso preparatório ou teste final. As pessoas viajarão AINDA esse ano. Talvez para os alunos de francês seja a cidade de Québec e não Montreal, mas em todo caso, ambas são maravilhosas! Também terá Toronto, Espanha, EUA e África do Sul.

No próximo mês, vou explicar aqui no blog um pouco sobre a história de Montreal e sobre as expressões do Quebec.

Até mais! À plus!

Flamilla


Gloria França

Professora de francês, do departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão. Doutora em Linguística, pelo IEL/UNICAMP, e docteure en Sciences du Langage, pela Université Paris 13 Sorbonne PAris Cité. Áreas de interesse de pesquisa: questões de gênero e raça na análise do discurso ; discurso e ensino de línguas; didática de ensino de francês (FLE); brasilidade; relações França/Brasil; memória e discurso, dentre outras.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook

Gloria França

Professora de francês, do departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão. Doutora em Linguística, pelo IEL/UNICAMP, e docteure en Sciences du Langage, pela Université Paris 13 Sorbonne PAris Cité. Áreas de interesse de pesquisa: questões de gênero e raça na análise do discurso ; discurso e ensino de línguas; didática de ensino de francês (FLE); brasilidade; relações França/Brasil; memória e discurso, dentre outras.

Vous aimerez aussi...

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *